Direitos Humanos

Capa da publicação - Chacinas policiais

Chacinas policiais

Published: 6 Maio 2022

Um ano após a chacina do Jacarezinho, estudo aponta que o episódio não é um caso isolado. Dados coletados pelo Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da UFF revelam ainda que a Polícia Civil é, proporcionalmente, a mais letal. Um ano depois da chacina do Jacarezinho, a maior da história do Rio de Janeiro, o relatório revela que o caso não é um episódio isolado, mas, sim, um desfecho frequente das operações policiais. 

Capa da publicação

Mulheres protagonistas: Mães trabalhadoras das artes - Mapeamento

Published: 25 Março 2022

Em 2021, o Observatório de Favelas realizou um mapeamento através de um formulário intitulado “Mulheres Protagonistas – Mães Trabalhadoras das Artes”, disponibilizado online entre os dias 01 de outubro e 02 de novembro de 2021. Os frutos da participação voluntária de mulheres e suas respostas você confere nesta publicação.
O projeto foi realizado com o apoio da Fundação Heinrich Böll.
 

Capa O Brasil na Retomada Verde - Carta de Belem

O Brasil na Retomada Verde:

Published: 10 Fevereiro 2022

A análise traz o Brasil em foco e tem como objetivo compreender as propostas de recuperação verde no contexto das novas formulações coloniais que, em nome do clima e se utilizando da métrica do carbono, vem submetendo terras, populações e soberanias sobre os recursos naturais.

Capa da publicação "Violência política na Baixada Fluminense".

Violência e política na Baixada Fluminense

Published: 28 Janeiro 2022

Fruto de uma parceria com o Observatório de Favelas, a publicação “Violência e Política na Baixada Fluminense” analisou a violência letal contra atores políticos na Baixada e identificou 43 casos de assassinatos entre os anos de 2015 e 2020, o que significa um ator político assassinado a cada 50 dias, sendo Nova Iguaçu e Seropédica os municípios com mais casos de mortes.

Capa da publicação "Pela vida de todas elas"

Pela vida de todas elas

Published: 26 Novembro 2021

Fruto de uma pesquisa realizada na campanha Pela vida de todas elas, a publicação reúne dados, estatísticas e informações sobre violência contra a mulher, focando em mulheres com deficiência. 

Capa Mapeamento de fluxos  de atendimento para mulheres

Mapeamento de fluxos de atendimento para mulheres

Published: 18 Outubro 2021

Este material propõe um diagnóstico das políticas públicas e das iniciativas da sociedade civil que combatem a violência institucional cometida contra as mulheres, tendo como eixos centrais as dimensões de gênero e raça.

Capa Caderno de Campo: Notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros

Caderno de Campo: Notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros

Published: 18 Outubro 2021

O “Caderno de campo: notas de experiência de pesquisa em Territórios Negros” traz a visão de duas intelectuais em processo de amadurecimento contínuo e ao mesmo tempo, a conversa próxima, ao pé do ouvido, sensibilizadora das estratégias e vidas de milhares de territórios negros espalhados pelo Rio de Janeiro e Bahia.

Capa Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento

Cadernos Sempreviva: Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento

Published: 18 Outubro 2021

No caderno “Capitalismo digital, comunicação e construção de movimento”, os textos de Adriana Vieira das Graças, Fabiana de Oliveira Benedito, Helena Zelic, Natália Lobo, Renata Moreno e Silvia Ribeiro buscam revelar mecanismos do capitalismo digital que atacam os processos de emancipação dos povos. Os textos formam, juntos, uma crítica às dinâmicas tecnológicas de mercado que adentram o cotidiano, no trabalho e na vida das mulheres, do campo e da cidade.

Capa Caderno Sempreviva “Neoliberalismo, trabalho e democracia – Trilhas Feministas”

Caderno Sempreviva “Neoliberalismo, trabalho e democracia – Trilhas Feministas”

Published: 18 Outubro 2021

No volume “Neoliberalismo, trabalho e democracia” as autoras Clarisse Goulart Paradis, Franciléia Paula de Castro, Mariana Lacerda, Marilane Teixeira, Miriam Nobre, Nalu Faria e Sarah Luiza de Souza Moreira respondem a esse cenário e recuperam as reflexões já elaboradas a partir da economia feminista para analisar as dinâmicas de precarização da sociedade aprofundadas pela covid-19.

A partir da chamada CPI das milícias, tornou-se conhecida a participação de agentes públicos nesses grupos criminais armados

A expansão das milícias no Rio de Janeiro

Published: 20 Abril 2021
Pesquisa

Ao longo das últimas décadas, o poder armado das chamadas “milícias” sobre territórios, populações e mercados vem se expandindo na cidade do Rio de Janeiro e região metropolitana. Tal expansão tem contribuído para alterar a configuração dos conflitos entre grupos armados territoriais no Rio de Janeiro, que se tornaram ainda mais complexos, caracterizando um quadro volátil, não completamente estabilizado.