Índia recebe festival de filmes sobre energia nuclear que nasceu no Brasil

 

Após a primeira edição internacional, que aconteceu em outubro de 2012 na cidade de Berlim, o Festival Urânio em Movi(e)mento chegou a Índia. Entre os meses de janeiro e fevereiro, o evento percorre sete cidades indianas: Nova Delhi, Shillong, Ranchi, Pune, Mumbai, Hydarabad e Chennai. Durante o Festival, estão sendo exibidos mais de 50 filmes, de todos os continentes, sobre mineração de urânio, criação de energia nuclear, riscos radioativos, a questão das bombas atômicas e a paz mundial. A Fundação Heinrich Böll Brasil é uma das apoiadoras do evento nas edições do Brasil e do exterior.

O Festival Urânio em Movi(e)mento, que nasceu em 2010 no bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, é o primeiro festival mundial de filmes sobre energia nuclear e os riscos da radioatividade, tratando de questões como a mineração de urânio, as centrais nucleares, bombas atômicas e lixo radioativo.

O Festival busca estimular as produções sobre energia nuclear e dar visibilidade a diretores que arriscaram suas vidas para produzir filmes. Exemplo disso é o cineasta Roberto Pires, autor de “Césio 137 – o Pesadelo de Goiânia”, que morreu de câncer, em 2001, possivelmente por conta da contaminação com o césio durante a produção desse filme.

Urânio em Movi(e)mento no Brasil em 2013

A terceira edição brasileira do Festival Internacional de Filmes sobre Energia Nuclear deve acontecer entre os dias 02 e 11 de maio desse ano, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

As inscrições de filmes para o Festival estão abertas. O evento aceita produções de ficção, documentário, animação e experimental para as competições de longa e curta metragens. Filmes nacionais e estrangeiros, produzidos em qualquer ano, sobre as questões nucleares, podem ser inscritos. O prazo de recebimento do filme termina no dia 31 de janeiro de 2013.

Mais informações sobre o Festival em: http://www.uraniumfilmfestival.org